terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Evitando problemas básicos logo na instalação...

Instale e use com sucesso os produtos dclass

Os amplificadores Dclass passam por 4 testes de qualidade antes de serem enviados a seus clientes.

Somando o uso de matéria prima de primeira, com componentes comprados diretamente em distribuidores oficiais,
com uma montagem extremamente criteriosa e a um controle de qualidade severo, temos um produto de primeira linha,
robusto, potente e confiável.

Para que este amplificador seja instalado em suas caixas e possam trabalhar por muitos anos, em jornadas longas de
trabalho, algumas medidas devem ser tomadas pelo instalador dos ativadores, e igualmente pelo operador do conjunto
sonoro em seu dia a dia profissional.

Menos de 1% dos defeitos que ocorrem em uso são defeitos de fabricação.

MEDIDAS DE SEGURANÇA NA INSTALAÇÃO :

Ao receber um produto Dclass, primeiramente verifique a integridade do mesmo.
Se houver marcas de tombo ou impactos fortes, ligue para o suporte Dclass.

Se receber o produto, antes da instalação, simplesmente ligue o amplificador na energia elétrica para confirmar funcionamento.

Ao preparar a caixa acústica para instalação do amplificador, deixe o amplificador longe da área de trabalho.

Depois que terminar a preparação da caixa acústica, limpe o seu interior criteriosamente.  O pó de serragem e pingos de solda feitas na fiação, certamente provocarão, cedo ou tarde, a avaria do conjunto. Os pingos de solda provocam curto circuito na placa eletrônica e o pó de serragem possibilita o fluxo de correntes parasítas entre os terminais
dos componentes, gerando ruído e sobre aquecimento do sistema, até sua queima.

Não use solda em nenhuma etapa da instalação do amplificador. Não é necessário e invalida a garantia de fábrica;

Traga o amplificador para a área de trabalho, somente no momento da sua instalação na caixa previamente preparada.

Lembre-se que toda caixa acústica de duas ou três vias, mono amplificadas, necessitam que os alto falantes, drives
e tweeters, sejam obrigatoriamente ligados com DIVISORES DE FREQUÊNCIAS passivos. Não pode ser feito de
outra forma, pois a caixa acústica sem divisor de frequências fica com o som péssimo e com vida útil extremamente curta.

As caixas acústicas para sub graves não necessitam de divisores de frequências.

Use somente alto falantes, drives e tweeters de primeira linha. Não é possível a construção de caixas
acústicas de qualidade e duráveis com produtos de segunda linha.

Não recomendamos uso de alto falantes recondicionados por terceiros. Use alto falantes recondicionados
somente com peças originais e com o serviço feito por pessoal autorizado pelá fábrica.
Os alto falantes recondicionados sem critérios, são os maiores responsáveis pela péssima qualidade de
caixas acústicas e frequentemente provocam a queima do conjunto.

IMPORTANTE: Se voce tiver dúvidas em qualquer parte da instalação, não prossiga, ligue para o nosso suporte.

MEDIDAS DE SEGURANÇA NO USO :

O primeiro passo a ser dado em uma sonorização de qualidade, é saber qual será a potencia de som necessária para aquela situação. Com esta informação, o técnico responsáveldeve fazer uma Instalação com 50% a mais de potencia, do total necessário.
Instalações sub dimensionadas resultam em microfonia, saturação do áudio, distorção exagerada e avaria severa no equipamento, que estará trabalhando fora da especificação.

Muito importante para uma sonorização profissional é a instalação bem feita. Os cabos e conectores devem estar em perfeito
estado, de forma que as conexões elétricas e de audio não produzam faíscas elétricas ou cortes abruptos de sinal ou
alimentação elétrica. Este tipos de anomalias produzem chiados, ruídos, variações importantes nos níveis de alimentação,
transitórios elétricos extremamente prejudiciais a reprodução do som e a estabilidade dos equipamentos. Estas anomalias
nas instalações provocam auto oscilação na saída dos amplificadores, destruindo os alto falantes e amplificadores.
Produzem estalos responsáveis pela queima de alto falantes e drives mais sensíveis. São irregularidades que originam aquele
tipo de defeito que acontece e ninguém percebe ou se da conta de que aconteceu. Apenas fica o prejuízo.

Os pontos de tomadas de energia e as extensões também são fontes permanentes de problemas. Extensões com mau
contatos, adaptadores de tomadas, fios e cabo sub dimensionados, tomadas sobrecarregadas, tudo isso produz um mundo
de oscilações e ruídos elétricos que vão interferir na qualidade do som e na segurança do equipamento instalado. Risque
deste mundo da sonorização as palavras, improvisação, amadorismo e gambiarra. Se a instalação elétrica do local é ruim,
não pense duas vezes, tire a energia diretamente do ponto de fornecimento, no relógio de força.
Use uma extensão combatível de ótima qualidade. Se tem dúvidas sobre como construir uma extensão com comprimento
e bitola adequados a sua necessidade, consulte um engenheiro.

O fornecimento da energia também é um fator importantíssimo. Se o local onde você vai trabalhar tem variações súbitas de
energia e de grande amplitude, de preferência para trabalhar em 220 volt. Se for possível, trabalhe sempre em 220 volts,
é muito mais seguro. Em locais onde a variação é muito grande, não trabalhe, em hipótese nenhuma no limite da capacidade.
Se for possível, use estabilizadores de tensão. Áreas rurais, grandes centros urbanos ou em proximidades de grandes
industrias, as variações súbitas de energia são reais. Em situações reconhecidamente péssimas de fornecimento, use
geradores de energia, fica mais barato que consertar um conjunto de equipamentos e alto falantes danificados.

Finalmente, o material mais importante em uma sonorização é o material humano. Especialize-se, atualize-se e faça o mesmo
com os seus colaboradores. Uma equipe bem treinada produz ótimos trabalhos, pouca manutenção e ganha o reconhecimento
da freguesia, garantindo trabalho ininterrupto.










terça-feira, 2 de janeiro de 2018

14. Instalação do painel e do módulo de amplificação

INSTALAÇÃO DO PAINEL 

O painel de controle deve ser instalado preferencialmente na parte de traz da caixa acústica. O instalador deve encontrar a melhor posição, onde o nicho do painel não colida com o imã do alto falante ou do drive. 

O instalador deve levar em conta que a caixa acústica vibra intensamente com o funcionamento do alto falante. Um painel colocado diretamente na parte de traz da caixa, sem o compartimento que o isole do alto falante, vibrara muito, pois estará compartilhando a pressão variável dentro da caixa, com a pressão atmosférica constante fora da caixa. Nesta situação, o painel vibra junto com o alto falante, vibra muito nas frequências baixas, com se recebesse centenas de golpes violentíssimos por segundo. Esta vibração destrói as conexões elétricas e soldas. 

É necessário que seja construído um compartimento completamente isolado da câmara do alto falante, para evitar as violentas vibrações na placa do pré amplificador e nos potenciômetros e conectores existentes no painel. A vibração violenta fadiga os terminais e pontos de solda da placa eletrônica, rompendo as conexões elétricas, provocando finalmente uma avaria no sistema. Não existe uma caixa ativa de qualidade sem que o painel de controle não esteja isolado. Há ainda o fato de que um painel metálico ajustado em uma das paredes da caixa, em contato com a câmara do alto falante, prejudicara severamente a qualidade do som reproduzido pela caixa. 

INSTALAÇÃO DO MÓDULO AMPLIFICADOR

Dentro da caixa a vibração existe, mas menor que em um painel instalado sem o compartimento, pois a pressão variável no interior da caixa atua igualmente em toda a superfície do módulo de amplificação, sendo assim, a vibração causada pela variação de pressão fica nula. Resta então a vibração natural da caixa.

O módulo de amplificação deve ser instalado dentro da caixa, e para que a vibração natural das caixas acústicas não prejudique suas conexões, basta que este módulo seja fixado por suportes anti vibração Dclass conforme fotos abaixo.











A instalação correta do painel e do módulo de amplificação, garante a máxima qualidade do som e extrema durabilidade ao conjunto sonoro. 



segunda-feira, 1 de janeiro de 2018

13. Painéis Dclass, seus controles e funcionalidades.

PAINÉIS PARA CAIXAS MULTIVIAS

Caixas multivias são aquelas de duas ou tres vias. No primeiro caso, woofer + drive de titâneo. No segundo caso, woofer + drive para médias frequencias + tweeters, para as altas frequencias. 

Estes painéis trabalham com amplificadores mono canal. A distribuição das frequências dentro da caixa, fica por conta de divisores de frequências, itens obrigatórios neste tipo de caixa. Lembrem-se que simples capacitores não fazem a função de um divisor de frequências. 

PAINÉIS PARA CAIXAS SUB GRAVES

Caixas para sub grave são as caixas de apenas uma via de amplificação que reproduzem os sons graves, as batidas,  com frequências abaixo de 150Hz. Podem ser de um, ou dois alto falantes ligados em paralelo. 

Estes painéis trabalham com amplificadores mono canal. A caixa recebe os sons graves devidamente processados pelo pré amplificador e não necessitam de qualquer tipo de filtro adicional ou divisores de frequências. 

PAINÉIS PARA CAIXAS LINE ARRAY

Caixas bi amplificadas ou line array são caixas de duas vias amplificadas por dois amplificadores, um amplificador para o alto falante de maior potencia (woofer) e outro para o alto falante de menor potencia (drive de titânio). 

Estes painéis trabalham com amplificadores de dois canais, que reproduzem separadamente os sons médios e os sons agudos com o ponto de crossover variável entre 1800 e 2200 Hz. A caixa recebe os sons médios e agudos devidamente processados, e não necessitam de qualquer tipo de filtro adicional ou divisores de frequências. 

Entendendo os conectores:

Conectores RCA:
Estes conectores são mais usados em equipamentos de áudio tipo HOME. Tipicamente aparecem como entrada auxiliar stereo em amplificadores e sintonizadores de modo geral. aparecem também em mesas mixadoras em suas entradas auxiliares. 




Conectores XLR:
Os conetores XLR são mais usados em equipamentos profissionais para sonorização. 

O Conector XLR fêmea é usado como entrada e o XLR macho é usado como saída. 
Este conector de entrada e saída são do tipo "balaceado", isto é, trabalham com dois sinais invertidos e a referencia terra. Tipicamente possuem um ganho elevado e o balanceamento dos sinais reduz drasticamente os ruídos indesejáveis que aparecem nas instalações de som. É especialmente indicado para instalações complexas e com cabos de áudio muito compridos.

Não se pode aplicar sinal stereo neste tipo de conexão, pois haverá um cancelamento das fases dos sinais de entrada e a amplitude do sinal ficara reduzidíssima, emudecendo o amplificador. 

.


FEMEA 


MACHO 



Conector P10:
Os conetores P10 são mais usados em equipamentos profissionais para sonorização. 
Este conector de entrada pode ser do tipo balanceado ou não, predominando os modelos não balanceados. Tipicamente possuem um ganho médio e são mais fáceis de serem usados.  

Se este conector for usado na modalidade "balanceado", não se pode aplicar sinal stereo neste tipo de conexão, pois haverá um cancelamento das fases dos sinais de entrada e a amplitude do sinal ficara reduzidíssima, emudecendo o amplificador. 

Muitas vezes encontramos este tipo de conector fazendo a ligação de potencia entre o amplificador e a caixa acústica. Este uso é totalmente errado, pelo fato que é uma conexão especifica para sinais de pequena intensidade e não possui o devido ancoramento mecânico para suportar cabos e fios robustos, necessários as conexões de potencia. Seu uso em conexões de potencia acaba invariavelmente trazendo problemas e avarias ao equipamento.


P10 



Conector speakon:
Conector especifico para uso em conexões de potencia, entre o amplificador e as caixas acústicas. Possui excelente ancoragem mecânica sendo ideal para trabalhar com cabos de bitolas maiores, necessários as ligações com fluxo elevado de corrente. 

Este tipo de conector traz indicado nos terminais elétricos a polaridade dos fios que serão ligados. 





Tipos de paineis:

1. Painel para caixas multívias com módulo de potencia mono de até 150 watts.

As caixas multivias mono amplificadas são aquelas que possuem dois ou três transdutores acústicos tipo woofer + drive de titânio (duas vias) ou woofer + drive de médios + tweeter (três vias) .
Este tipo de caixa necessita obrigatoriamente ser equipada com divisores de frequências passivos. O não uso de divisores de frequências passivos, resulta em uma caixa de péssimo resultado sonoro e de vida útil reduzida, principalmente em se tratando dos drives e tweeters. Não existem caixas acústicas mono amplificadas de boa qualidade que não empreguem divisor de frequências. Veja que os capacitores não substituem os divisores de freqeuncias.


Entradas:
Uma entrada  "Ch1" tipo P10  balaceada com controle de volume
Duas entradas "Ch2" RCA com controle de volume
As duas entradas são mixáveis.
Pode ser aplicado um sinal mono em um dos dois conectores RCA, ou sinal stereo nos dois conectores RCA. Se for aplicado um sinal stereo, L + R, este sinal será mixado pelo pré amplificador. 

SAÍDAS:
Uma saida tipo P10 "Ch1" balanceada para link de áudio com outra caixa ativa.
Esta saída P10 é interligada Com a entrada P10 e serve para linkar de forma sequencial varias caixas ativas, passando o sinal de uma para outra.

Uma saida SPK (speakon) para conexão com caixa escrava. Note que se a caixa ativa for de 4 ohms, esta saída não poderá ser usada ou o amplificador queima. 
Se a caixa ativa for de 8 ohms, esta saída poderá ser usada para conectar ao amplificador uma caixa escrava de 8 ohms. 

Controle:
Controle de volume canal 1 
Controle de volume canal 2
Um equalizador de 3 bandas, médio, grave e agudo

Fusivel do painel: 3 amperes

2. Painel compacto, separado do módulo de potencia, para caixas multívias:

É usado em conjunto com os módulos de potencia de 300, 500, 700, 1000 e 1500 watts.
As caixas multivias são aquelas que possuem dois ou três transdutores acústicos tipo woofer + drive de titânio (duas vias) ou woofer + drive de médios + tweeter (três vias)
O não uso de divisores de frequências passivos, resulta em uma caixa de péssimo resultado sonoro e de vida útil reduzida, principalmente em se tratando dos drives e tweeters. Não existem caixas acústicas mono amplificadas de boa qualidade que não empreguem divisor de frequências. Veja que os capacitores não substituem os divisores de freqeuncias. 




Entradas:
Uma entrada  "line" tipo P10  balaceada com controle de volume
Uma entrada "mic" tipo XLR com controle de volume
As duas entradas são mixáveis

SAÍDAS:
Uma saida tipo XLR "mic" balanceada para link de áudio com outra caixa ativa.
Esta saída XLR é interligada com a entrada XLR e serve para linkar de forma sequencial varias caixas ativas, passando o sinal de uma caixa para outra.

Uma saida SPK (speakon) para conexão com caixa escrava. Note que se a caixa ativa for de 4 ohms, esta saída não poderá ser usada ou o amplificador queima. 
Se a caixa ativa for de 8 ohms, esta saída poderá ser usada para conectar ao amplificador uma caixa escrava de 8 ohms. 

Controle:
Controle de volume canal 1 
Controle de volume canal 2
Um equalizador de 3 bandas, médio, grave e agudo

Fusivel do painel: 

Amplificador de 300 watts: 3 ampéres
Amplificador de 500 watts: 5 ampéres
Amplificador de 700 watts: 6 ampéres
Amplificador de 1000 watts: 7 ampéres
Amplificador de 1500 watts: 8 ampéres

OBS: É obrigatório que o painel seja instalado em compartimento (nicho) completamente isolado da câmara do alto falante para que não avarie em decorrência da forte vibração provocada pelo funcionamento do alto falante.


3. Painel com pré amplificador integrado ao módulo de potencia, para uso em caixas multívias com módulo de potencia mono, de 300 e 500 watts.

É usado em conjunto com os módulos de potencia de 300 e 500 watts.
As caixas multivias mono amplificadas são aquelas que possuem dois ou três transdutores acústicos tipo woofer + drive de titânio (duas vias) ou woofer + drive de médios + tweeter (três vias) .
Este tipo de caixa necessita obrigatoriamente ser equipada com divisores de frequências passivos. O não uso de divisores de frequências passivos, resulta em uma caixa de péssimo resultado sonoro e de vida últil reduzida, principalmente em se tratando dos drives e tweeters. Não existem caixas acústicas mono amplificadas de boa qualidade que não empreguem divisor de frequências. Veja que os capacitores não substituem os divisores de freqeuncias.




Entradas:

Uma entrada  "in1" tipo P10  balaceada com controle de volume
Uma entrada "in2" tipo XLR com controle de volume
As duas entradas são mixáveis

SAÍDAS:
Uma saida tipo XLR  balanceada para link de áudio com outra caixa ativa.
Esta saída XLR é interligada com a entrada XLR e serve para linkar de forma sequencial varias caixas ativas, passando o sinal de uma caixa para outra.

Uma saida SPK (speakon) para conexão com caixa escrava. Note que se a caixa ativa for de 4 ohms, esta saída não poderá ser usada ou o amplificador queima. 
Se a caixa ativa for de 8 ohms, esta saída poderá ser usada para conectar ao amplificador uma caixa escrava de 8 ohms. 

Controle:
Controle de volume canal 1 
Controle de volume canal 2
Um equalizador de 3 bandas, médio, grave e agudo

Fusivel do painel: 

Amplificador de 300 watts: 3 ampéres
Amplificador de 500 watts: 5 ampéres

OBS: É obrigatório que o painel seja instalado em compartimento (nicho) completamente isolado da câmara do alto falante para que não avarie em decorrência da forte vibração provocada pelo funcionamento do alto falante.


4. Painel compacto, separado do módulo de potencia, para caixas sub graves:





É usado em conjunto com os módulos de potencia de 300, 500, 700, 1000 e 1500 watts watts.

As caixas para sub grave são aquelas que possuem apenas uma via de amplificação (podem ser equipadas com um ou dois alto falantes idênticos em paralelo), e são especificas para reforço dos sons graves (as batidas) e não necessitam de divisores de frequências passivos, pois o pré amplificador Dclass reúne todas as funções necessárias.
Este tipo de caixa não reproduz os sons médios e agudos.  


Entradas:
Uma entrada  "input1" tipo P10  balaceada. 
Duas entradas "Ch2" RCA.
As duas entradas são mixáveis
Pode ser aplicado um sinal mono em um dos dois conectores RCA, ou sinal stereo nos dois conectores RCA. Se for aplicado um sinal stereo, L + R, este sinal será mixado pelo pré amplificador. 
Uma entrada "input3" tipo XLR.
As entradas P10, XLR e RCA possuem um único controle de volume.


SAÍDAS:
Uma saida tipo XLR balanceada para link de áudio com outra caixa ativa.
Esta saída XLR é interligada com a entrada XLR e serve para linkar de forma sequencial varias caixas ativas, passando o sinal de uma caixa para outra.

Uma saida SPK (speakon) para conexão com caixa escrava. Note que se a caixa ativa for de 4 ohms, esta saída não poderá ser usada ou o amplificador queima. 
Se a caixa ativa for de 8 ohms, esta saída poderá ser usada para conectar ao amplificador uma caixa escrava de 8 ohms. 

Controle:
Controle de volume geral 
Controle de frequência:
Este controle ajusta a frequência de corte do filtro low pass entre 35 e 160 Hz
Controle de fase: 
Este controle ajusta a fase do sinal reproduzido e serve para colocar em fase duas ou mais caixas de sub graves, evitando o cancelamento do sinal e a consequente perda de ganho na reprodução dos sons graves. 

Sinalização: 
Sinalização de amplificador clipando
Quando o led "clip" se acende, esta indicando que o pré amplificador esta recebendo um sinal acima do necessário e pode causar uma amplificação totalmente distorcida.
Nesta situação, tanto o alto falante como o amplificador, poderão superaquecer e sofrer sérias avarias.
Os amplificadores Dclass para sub graves possuem sistema de compressão para impedir que o sistema trabalhe sobrecarregado, mas ainda assim a clipagem  não é uma condição de trabalho permitida. 

Para manter o led de clip apagado e o sistema trabalhando em sua capacidade ideal, controle a amplitude do sinal de entrada, isto é, mantenha o sinal de entrada próximo a zero dB. O controle de volume existente neste painel não atua no controle de clip, somente no volume da reprodução. 

Fusivel do painel: 

Amplificador de 300 watts: 3 ampéres
Amplificador de 500 watts: 5 ampéres
Amplificador de 700 watts: 6 ampéres
Amplificador de 1000 watts: 7 ampéres
Amplificador de 1500 watts: 8 ampéres

OBS: É obrigatório que o painel seja instalado em compartimento (nicho) completamente isolado da câmara do alto falante para que não avarie em decorrência da forte vibração provocada pelo funcionamento do alto falante.


5. Painel com pré amplificador integrado ao módulo de potencia, para uso em caixas tipo sub graves  com módulo de potencia mono, de 500 e 700 watts.




É usado em conjunto com os módulos de potencia de 500 e 700 watts.

As caixas para sub grave são aquelas que possuem apenas uma via de amplificação (podem ser equipadas com um ou dois alto falantes idênticos em paralelo), e são especificas para reforço dos sons graves (as batidas) e não necessitam de divisores de frequências passivos, pois o pré amplificador Dclass reúne todas as funções necessárias.
Este tipo de caixa não reproduz os sons médios e agudos.  


Entradas:
Uma entrada tipo P10  balaceada. 
Duas entradas  RCA.
As duas entradas são mixáveis
Pode ser aplicado um sinal mono em um dos dois conectores RCA, ou sinal stereo nos dois conectores RCA. Se for aplicado um sinal stereo, L + R, este sinal será mixado pelo pré amplificador. 
Uma entrada tipo XLR.
As entradas P10, XLR e RCA possuem um único controle de volume.

SAÍDAS:
Uma saida tipo XLR balanceada para link de áudio com outra caixa ativa.
Esta saída XLR é interligada com a entrada XLR e serve para linkar de forma sequencial varias caixas ativas, passando o sinal de uma caixa para outra.

Uma saida SPK (speakon) para conexão com caixa escrava. Note que se a caixa ativa for de 4 ohms, esta saída não poderá ser usada ou o amplificador queima. 
Se a caixa ativa for de 8 ohms, esta saída poderá ser usada para conectar ao amplificador uma caixa escrava de 8 ohms. 

Controle:
Controle de volume geral 
Controle de frequência:
Este controle ajusta a frequência de corte do filtro low pass entre 35 e 160 Hz
Controle de fase: 
Este controle ajusta a fase do sinal reproduzido e serve para colocar em fase duas ou mais caixas de sub graves, evitando o cancelamento do sinal e a consequente perda de ganho na reprodução dos sons graves.  

Sinalização: 
Sinalização de amplificador clipando
Quando o led "clip" se acende, esta indicando que o pré amplificador esta recebendo um sinal acima do necessário e pode causar uma amplificação totalmente distorcida.
Nesta situação, tanto o alto falante como o amplificador, poderão superaquecer e sofrer sérias avarias.
Os amplificadores Dclass para sub graves possuem sistema de compressão para impedir que o sistema trabalhe sobrecarregado, mas ainda assim a clipagem  não é uma condição de trabalho permitida. 

Para manter o led de clip apagado e o sistema trabalhando em sua capacidade ideal, controle a amplitude do sinal de entrada, isto é, mantenha o sinal de entrada próximo a zero dB. O controle de volume existente neste painel não atua no controle de clip, somente no volume da reprodução. 

Fusivel do painel: 

Amplificador de 500 watts: 5 ampéres
Amplificador de 700 watts: 6 ampéres


OBS: É obrigatório que o painel seja instalado em compartimento (nicho) completamente isolado da câmara do alto falante para que não avarie em decorrência da forte vibração provocada pelo funcionamento do alto falante.



6. Painel com pré amplificador integrado ao módulo de potencia, para uso em caixas tipo sub graves  com módulo de potencia mono, de 1000 e 1500 watts.







É usado em conjunto com os módulos de potencia de 1000 e 1500 watts.

As caixas para sub grave são aquelas que possuem apenas uma via de amplificação (podem ser equipadas com um ou dois alto falantes idênticos em paralelo), e são especificas para reforço dos sons graves (as batidas) e não necessitam de divisores de frequências passivos, pois o pré amplificador Dclass reúne todas as funções necessárias.
Este tipo de caixa não reproduz os sons médios e agudos.  


Entradas:
Uma entrada  "input1" tipo P10  balaceada. 
Uma entrada "input2" tipo XLR balanceada.
As duas entradas são mixáveis

SAÍDAS:
Uma saida tipo XLR balanceada para link de áudio com outra caixa ativa.
Esta saída XLR é interligada com a entrada XLR e serve para linkar de forma sequencial varias caixas ativas, passando o sinal de uma caixa para outra.

Uma saida SPK (speakon) para conexão com caixa escrava. Note que se a caixa ativa for de 4 ohms, esta saída não poderá ser usada ou o amplificador queima. 
Se a caixa ativa for de 8 ohms, esta saída poderá ser usada para conectar ao amplificador uma caixa escrava de 8 ohms. 

Uma saída AC LINK para alimentação elétrica de outra caixa ativa.

Controle:
Controle de volume geral 
Controle de frequência:
Este controle ajusta a frequência de corte do filtro low pass entre 35 e 160 Hz
Controle de fase: 
Este controle ajusta a fase do sinal reproduzido e serve para colocar em fase duas ou mais caixas de sub graves, evitando o cancelamento do sinal e a consequente perda de ganho na reprodução dos sons graves. 

 Sinalização: 
Sinalização de amplificador clipando
Quando o led "clip" se acende, esta indicando que o pré amplificador esta recebendo um sinal acima do necessário e pode causar uma amplificação totalmente distorcida.
Nesta situação, tanto o alto falante como o amplificador, poderão superaquecer e sofrer sérias avarias.
Os amplificadores Dclass para sub graves possuem sistema de compressão para impedir que o sistema trabalhe sobrecarregado, mas ainda assim a clipagem  não é uma condição de trabalho permitida. 

Para manter o led de clip apagado e o sistema trabalhando em sua capacidade ideal, controle a amplitude do sinal de entrada, isto é, mantenha o sinal de entrada próximo a zero dB. O controle de volume existente neste painel não atua no controle de clip, somente no volume da reprodução. 

Fusivel do painel: 

Amplificador de 1000 watts: 7 ampéres
Amplificador de 1500 watts: 8 ampéres

OBS: É obrigatório que o painel seja instalado em compartimento (nicho) completamente isolado da câmara do alto falante para que a vibração provocada pelo alto falante não avarie a placa eletrônica do pré amplificador.

7. Painel compacto, separado do módulo de potencia, para caixas tipo line array bi amplificadas;

Este tipo de painel é usado em caixas bi amplificadas, isto é, aquelas caixas que precisam de um amplificador específico para as frequências graves e outro amplificador específico para as freqeuncias médio/agudos, ou ainda, precisam de uma amplificador para as frequências médias e outra para as frequências agudas. 

É usado em conjunto com os módulos duplos de potencia, de 700 + 200 e 1000 + 250 watts.
Este tipo de caixa não precisa de divisores de frequências passivos, possuem um melhor rendimento acústico e uma melhor qualidade sonora.




Entradas:

Uma entrada balanceada low do tipo XLR com controle individual de volume do amplificador de maior potencia

Uma entrada balanceada high do tipo XLR com controle individual de volume do amplificador de menor potencia.

Se é feito um ajuste em 1800 Hz, o amplificador de maior potencia irá amplificar os sons com frequências abaixo dos 1800 Hz e o amplificador de menor potencia ira amplificar os sons com freqeuncias acima de 1800 Hz.

SAÍDAS:
Uma saída low XLR  do tipo balanceada para link de áudio com outra caixa ativa.
Esta saída XLR low é interligada com a entrada XLR low e serve para linkar de forma sequencial varias caixas ativas, passando o sinal de uma caixa para outra.

Uma saída high XLR  do tipo balanceada para link de áudio com outra caixa ativa.
Esta saída XLR high é interligada com a entrada XLR high e serve para linkar de forma sequencial varias caixas ativas, passando o sinal de uma caixa para outra.

Uma saída SPK (speakon) para conexão com caixa escrava. Note que esta saída permite a conexão de outra caixa de duas vias separadas. 

Uma saída AC LINK para alimentação elétrica de outra caixa ativa.

Controle:
Controle de volume canal low 
Esta entrada controla o volume do amplificador de maior potencia e possui filtro high pass fixo de 100 Hz e um filtro low pass variável, ajustável entre 1600 Hz e 2200 Hz.
Controle de volume canal 2
Esta entrada controla o volume do amplificador de menor potencia e possui filtro high pass variável, ajustável entre 1600 e 2200 Hz.

Controle do crossover
Este controle ajusta a frequência de convergência dos dois canais.
Se é feito um ajuste em 1800 Hz, o amplificador de maior potencia irá amplificar os sons com frequências abaixo dos 1800 Hz e o amplificador de menor potencia ira amplificar os sons com frequencias acima de 1800 Hz.

Sinalização: 
Led indicador de clip
Este led indica quando o sinal de entrada esta produzindo uma amplificação maior do que o permitido para aquele módulo.
O uso prolongado do sistema clipando, produz superaquecimento do amplificador e do alto falante, podendo causar sérios danos tanto a um como ao outro. 
Para operar em situação normal, com o led de clip totalmente apagado, basta diminuir o sinal de entrada ou o volume dos dois canais. 

Este painel pode trabalha com uma via de áudio full range ou em duas vias de áudio previamente processadas. 

Este ajuste pode ser feito simplesmente alterando a posição do "jump" existente na placa do pre amplificador. 
Posição 1CH  para um sinal de entrada full range
Posição 2 CH para dois sinais de entrada previamente processados. 

Fusivel do painel: 

Amplificador de 700 + 200 watts: 6 ampéres
Amplificador de 1000 + 250 watts: 7 ampéres

OBS: É obrigatório que o painel seja instalado em compartimento (nicho) completamente isolado da câmara do alto falante para que não avarie em decorrência da forte vibração provocada pelo funcionamento do alto falante.








domingo, 8 de maio de 2016

12. Medidas dos paineis e módulos

PAINEIS

Considere todas as medidas em milímetros e que a primeira medida refere-se a dimensão horizontal e a segunda medida a dimensão vertical do painel.


Painel multivias separado do módulo de amplificação (300, 500, 700, 1000, 1500 watts)

190 X 140 mm

 

Painel multivias separado do módulo de amplificação com USB (300, 500, 700, 1000, 1500 watts)

190 X 170 mm


Painel multivias integrado ao módulo de amplificação (300, 500, 700, 1000, 1500 watts)

288 x 196



Painel sub separado do módulo de amplificação (500, 700, 1000, 1500 watts)

187 x 120 mm



Painel sub integrado ao módulo de amplificação (500, 700, 1000, 1500 watts)

288 x 196 mm



Módulos de amplificação

Considere as medidas em milímetros e referem-se a dimensão do chassis de alumínio onde a placa eletrônica esta alojada.

Cosidere uma altura útil de 70 mm para todos os modelos sem o cooler instalado e 120 mm com o cooler instalado.

Módulo 300 watts.................................190 x 130 mm

Módulo 500 watts.................................140 x 230 mm

Módulo 700 watts.................................140 x  250 mm

Módulo 1500 watts...............................160 x 250 mm

Módulo biamp 700 + 200 watts............140 x 310 mm

Mòdulo biamp 1500 + 250 watts..........160 x 335 mm


segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

11. Conexões das placas eletrônicas


Módulo de amplificação sem fonte 250 watts 




Módulo de amplificação sem fonte 600 watts




Módulo de amplificação com fonte 150 watts

Módulo de amplificação com fonte 300 watts





Módulo de amplificação com fonte D500/700



Módulo de amplificação com fonte 1000/1500 watts